As Profundezas Féericas

Sessão 1: Sarkis, o dragão
Blog de campanha

Corre a notícia que pescadores halflings da pacata vila de Tranquilágua (Stillwater) desapareceram misteriosamente. Há relatos de que um clã local de Homens Lagarto tomaram as ruínas de uma antiga torre como lar e são os principais suspeitos dos raptos.

Três heróis atendem o chamado, com interesse em ajudar os habitantes da região e também com interesse nas ruínas. Há boatos de que a torre é apenas uma das estruturas de uma antiga cidade Eladrin que afundou no pântano após um cataclisma.

Brocc, o gnomo, é mestre na arte do ilusionismo e se interessou pela missão de resgate por ouvir boatos de que há uma passagem secreta para as Profundezas Féericas em algum lugar nesta região.

Sua missão nas profundezas é encontrar 3 cogumelos mágicos conhecidos como Mystfung, que seu mestre afirmou ser ingrediente para uma poção que vai curar uma estranha epidemia arcana que assola sua terra natal.

Kindara, a Elfa Druída, segue a missão de encontrar um monumento conhecido o Círculo Primal, que estaria na lendária Cidadela de Pedra. Seu secto de druídas a enviou para investigar os boatos desta passagem para as Profundezas Féericas, já que este é um possível caminho para o monumento.

Ela espera despertar um antigo espírito primal que está aprisionado no Círculo Primal e com isso trazer equilíbrio para as raízes de árvores milenares que estão sofrendo com a influência de alguma entidade maligna.

Abraxus, o Draconato Bárbaro, acredita ter visões de Bahamut, e está seguindo sinais de que um descendente de um Dragão Negro Ancião está escondido em algum lugar na região pantanosa de Tranquilágua. Ele se junta à equipe de resgate por acreditar que o dragão Sarkis pode estar por trás dos raptos e deve ser morto em nome da glória de Bahamut.

Toes, o halfling, acompanha a caravana junto aos irmãos humanos Thomas e Timo. Eles são nativos de Tranquilágua e acreditam que ajudando os aventureiros, as chances de encontrar pescadores raptados ainda com vida é maior.

A pequena armada, guiados por visões místicas do oráculo local (uma ninfa chamada Sirina), entram no pântano em uma missão de resgate. As indicações do oráculo parecem estar corretas, após algumas horas de exploração, o grupo encontra o topo de uma torre, parcialmente enterrada na lama.

A torre parece ocupada de Homens Lagarto. O grupo se aproxima para emboscar os guardas e uma batalha terrível começa. Um gigantesco Homem Lagarto segura o grupo enquanto shamans atacam com magia do pântano.

Thomas e Timo morrem em combate, e Toes fica gravemente ferido. O grupo aperta o passo para encontrar sobreviventes entre os halflings raptados e adentram a escuridão dos andares inferiores da torre.

Após ajudar a eliminar a ameaça dos Homens Lagarto que se abrigavam nas ruínas da antiga torre, as suspeitas de Abraxus se revelam como verdade, Sarkis, o Dragão Negro, está escondido nas profundezas das ruínas.

O destemido draconato avança, junto aos seus companheiros, em busca do dragão maléfico. Após encontrarem o lar de Sarkis, uma batalha terrível acontece, e Abraxus, em sua fúria, acerta o dragão com vários golpes.

Mas o draconato não estava preparado para as terríveis mordidas ácidas de Sarkis, e acaba tombando em uma poça de sangue e ácido, e enquanto morria lentamente, observou impotente enquanto o dragão fugia por um poço, escapando da fúria do grupo de aventureiros.

Com um último suspiro ele diz: “me desculpa Bahamut, eu falhei”.

Em seguida o grupo dá cabo do líder dos Homens Lagarto, um shaman albino que usava rituais para escavar um túnel no subterrâneo. No fim do túnel os personagens encontram uma porta de pedra, encantada com runas féericas. Após analisar os símbolos, o grupo concluí que chegaram até o portal para as Profundezas Féericas.

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.